Rua Dr. Alfredo Ellis, 68b. Bela Vista,

São Paulo – SP. CEP: 01322-050

Telefone: (11) 4171-5368

(11) 95327-8158 (whatsapp)

E-mail: contato@cdhic.org

Inscreva-se para receber nossos conteúdos

© ekloos 2017    |    CDHIC  |    Todos os direitos reservados 

Espaço Sem Fronteira participa do 4° encontro da Rede de Líderes Migrantes da Argentina

October 2, 2017

 

Cidadania, democracia e participação política dxs migrates foram debatidos nos três dias de encontro

 

Membros da rede Espacio Sin Fronteras (ESF) participaram, de 22 a 24 de setembro, do 4º Encontro da Rede de Líderes Migrantes da Argentina, na Universidade Nacional de Lanús, em Buenos Aires. O encontro reuniu mais de 200 migrantes de todo o país, organizações sociais, universidades,autoridades públicas, associações, etc.

 

A Rede de Líderes tem como objetivos fortalecer a democracia e avançar na consolidação de uma cidadania plena para todas as pessoas que habitam o solo argentino. Nesta edição, a abertura do 4° Encontro ficou por conta de Adolfo Pérez Esquivel, Prêmio Nobel da Paz de 1980. Ao longo dos três dias foram realizadas atividades em grupos de trabalho para debater os temas:Políticos e Partidos Políticos, Direitos Políticos e Sindicatos; Direitos Políticos, Comunicacional e outras organizações sociais, Direitos Políticos e Novas Práticas Políticas.

 

Ao final, foi apresentada uma declaração com os posicionamentos, entre eles, o reconhecimento da Argentina como “uma país de acolhida que nos abriu suas portas para trabalhar, estudar e viver”. O encontro desse ano também manifestou a preocupação dos migrantes quanto a decretos que modificam a Lei de Imigração argentina, em especial o acesso à justiça.

 

O direito de voto dos imigrantes foi tratado como um afirmamento da participação dos imigrantes no cenário políticos. “Entendemos que a cidadania e a democracia não se reduzem nem a processos representativos(voto passivo e ativo) nem a nacionalidades. Além de sujeitos de direito,somos sujeitos políticos porque na verdade somos e formamos parte, desde sempre, da comunidade política argentina”, diz trecho da Declaración de Lanus.

 

A declaração final do encontro também denuncia a discriminação quanto ao reconhecimento de títulos dos migrantes formados em outros países, ao acesso a todo tipo de cargo público e na composição de dirigências departidos políticos e sindicatos.

 

Jorge Muñoz, representante da Pastoral de Migrações de Neuquen e membro do ESF, explicou que a construção da Rede é um caminho de fortalecimento da cidadania dos imigrantes. ¨O nascimento da Rede de líderes Migrantes de Argentina vem sendo feito há três anos buscando o protagonismo dxs migrantes como sujeito político coletivo da política migratória Argentina”, diz.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

ACOMPANHE 

AS NOTÍCIAS